26 de setembro de 2022

A população mundial apresenta diversas curiosidades. A partir de alterações sociais e políticas na História de cada país, ocorrem mudanças impactantes. Populações aumentam drasticamente, e outras diminuem rapidamente.

Nações antes vistas com agrárias e atrasadas acabam por tirar em curto prazo milhões de pessoas da linha da pobreza, assim como países economicamente mandantes percebem uma grande fatia de sua população em estado precário.

Além disso, prognósticos são levantados com base nestes dados sobre as populações, assim como são apontadas peculiaridades a respeito de cada região. Podem parecer somente curiosidades, mas estes números refletem as alterações geopolíticas no cenário mundial.

Gráfico mostra a divisão da população mundial entre os maiores países. Crédito: Wikideas1 / Wikimedia Commons / CC-BY-SA 4.0

A questão chinesa

Uma das nações que mais apresenta curiosidades a respeito de sua população é a China. É o país mais populoso do mundo, com 1.447.993,598 bilhão de habitantes (2022). Um fato interessante é que, sozinha, foi responsável por acabar com 70% da pobreza do mundo.

Como isso foi possível?

A política chinesa trabalha a partir de planos quinquenais, nos quais são decididas as prioridades para períodos de cinco em cinco anos. O Partido Comunista Chinês, por meio de medidas como aumento do abastecimento de comida e roupas na área rural, fornecimento de crédito para famílias pobres, construção de infraestrutura e tecnologia para o campo, além de ações de seguridade social, apresentou o resultado impactante de ter tirado 850 milhões de pessoas da situação de miséria em um período de 40 anos, entre 1980 e 2020.

Entre outros fatores, a China conseguiu diminuir a pobreza no mundo com aceleração do desenvolvimento industrial e modernização. A população em nível de miséria foi da proporção de aproximados 66% para 11% neste período, segundo dados do Banco Mundial. Somente entre 2016 e 2020, quando ocorreu o último plano quinquenal, cerca de 43 milhões de habitantes foram atingidos pelo plano nacional chinês.

Disparidades em Hong Kong

Hong Kong é uma área administrativa especial que pertence à China. Uma curiosidade sobre a população de Hong Kong é a sua densidade demográfica muito alta: 6.300 pessoas por km². A população de Hong Kong é famosa no mundo todo por ser formada por milionários, banqueiros e personalidades da área financeira. Entretanto, Hong Kong na verdade tem milhões de pessoas vivendo na linha de pobreza. Enquanto as classes dominantes residem em apartamentos milionários com mais de 80 m², a maior parte do povo mora em locais que por vezes não chegam a cinco metros quadrados.

Algum país pode ultrapassar a população da China?

De acordo com informações do Banco Mundial, a população da Índia tende a ultrapassar o número de habitantes chineses progressivamente a partir do ano de 2022. De fato, a Índia é a segunda nação mais populosa do mundo, 1.409.195,055 habitantes (2022). De acordo com a pesquisa, isso ocorre devido a uma diminuição da taxa de nascimentos na China desde a década de 1970.

Estados Unidos

Com uma população de 332.403,650 habitantes (2022), a terceira maior do mundo, os EUA apresentaram em 2020 cerca de 37 milhões de cidadãos na faixa de pobreza, ou seja, um aumento de 3,3 milhões desde o índice verificado em 2019, segundo dados do U.S. Census Bureau.

É um fato curioso, visto que entre 2015 e 2019 o país demonstrava diminuição no índice referente ao número de pessoas pobres. A partir de 2020, os EUA foram obviamente afetados pela crise sanitária causada pelo coronavírus, visto que foi a nação norte-americana que contabilizou o maior índice de mortes em escala mundial. Entre o começo da pandemia (2020) até o início de 2022, segundo dados do jornal The New York Times, 866 mil óbitos foram contabilizados nos EUA.

Diminuição do ritmo de crescimento da população mundial

De acordo com o Our World In Data, a pandemia do coronavírus, desde seu início (2020) até o começo de 2022, causou 5,6 milhões de óbitos em escala mundial. Notavelmente, os dois maiores países do ocidente em extensão territorial e população, Estados Unidos e Brasil, foram os que mais tiveram mortes no mundo, respectivamente 866 mil e 623 mil, segundo dados de 2022. Além disso, o número de nascimentos está diminuindo rapidamente em todo o planeta.

Fonte: https://www.infoescola.com

Sobre o Autor

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: