26 de setembro de 2022

O ACAMPAMENTO DAS TRIBOS DE ISRAEL

A organização de Israel era militar

Cada tribo tinha sua posição no acampamento e possuía seu comandante e sua bandeira. Todos estavam sob o comando de Deus que era o Chefe Supremo e tinha sua Tenda no meio deles. Os movimentos eram dirigidos por meio da Nuvem de glória (Nm 9.15-23).

Estavam organizados em 4 acampamentos:  

O Tabernáculo no centro, sendo que cada grupo de três tribos tinha uma bandeira sob a qual acampavam. É importante acrescentar que uma enciclopédia hebraica, menciona que os quatro rostos da visão de Ezequiel 1.10, correspondem aos quatro símbolos encontrados nas bandeiras sob os quais a nação de Israel acampava (Ap 4.7), assim estavam distribuídos:

  • Sob a bandeira do Leão – ao Leste, acampavam as tribos de Judá “Louvor ou Triunfo”; Assacar  “galardão” e  Zebulom “Graça”, com  um  total  de  400 soldados (Nm 2.3-9).  A bandeira do Leão representa majestade e poder. (Ap 5.5)
  • Sob a bandeira do Boi – a Oeste, acampavam as tribos de Efraim “Prosperidade”, Manasses “Perdão” e Benjamim “A destra”, com um total de 108.100  soldados (Nm 2.18-24). A bandeira do Boi representa fidelidade e serviço (Jo 5.17).
  • Sob a bandeira da Águia – ao Norte, acampavam as tribos de Dã “Confissão”; Aser “Bem Aventurado” e Naftali “Conquista”, perfazendo um total de 157.600 soldados (Nm 2.25-31). A bandeira da Águia representa soberania e divindade (Hb 1.3).
  • Sob a bandeira do Homem – ao  Sul, acampavam as  tribos de Ruben “Visão”,  Simeão “Obediência” e  Gade “Prosperidade”, perfazendo um total de 151.450 soldados (Nm 2.10-16). A bandeira do Homem representa inteligência e capacidade (Cl 2.2,3).

Em frente à porta do Tabernáculo (oriente): Moisés, Aarão e filhos: Nadabe, Abiu, Eleazar e Itamar. Arão e seus filhos deveriam cobrir todos os utensílios sagrados antes de serem transportados pela família de Coate.

Eleazar exercia a superintendência nas mudanças (Nm 3.32) era responsável pelo transporte do azeite, incenso, ofertas e óleo da unção, além de ser o responsável por todo o Tabernáculo (Nm 4.16) era também chamado de “o príncipe dos príncipes”.

  1. Os Levitas moravam entre eles: não foram incluídos por suas funções sagradas no Santuário, estavam isentos do serviço militar. Constituíam uma guarda especial do Tabernáculo e moravam entre eles. Eram os ajudantes dos sacerdotes.

Por haverem sido resgatados da morte, na noite da Páscoa os primogênitos das famílias hebraicas pertenciam a Deus, mas os levitas pelo seu zelo espiritual foram escolhidos  divinamente  como substitutos dos  filhos mais velhos  de  cada  família. (Êx 32.25-29).

Pastor Antonio Romero Filho

Sobre o Autor

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: