26 de setembro de 2022

“E seu suor transformou-se em gotas de sangue, que caíram no chão” – Lucas 22.43

O  Jardim do Getsêmani

Entendendo como o sistema nervoso autônomo funciona, tendo uma idéia básica da anatomia das glândulas sudoríparas e compreendendo o que é ansiedade e como a reação lutar-ou-fugir é ativada, é possível aplicar esse conhecimento para entender o mecanismo da hematidrose no Jardim do Getsêmani.
 
Eis o que aconteceu: a reação lutar-ou-fugir foi iniciada pelas águas turbulentas de pavor extremo, tristeza e ansiedade que direcionavam o espírito de Jesus para os limites extremos de Sua humanidade. “Minha alma está triste até a morte” (Marcos 14.34).
 
A missão de Jesus era clara e Ele era capaz de prever todo o espectro de sofrimento e morte que estava por vir. Esse prelúdio produziu pavor extremo e satisfez todos os critérios médicos para que se iniciasse a resposta simpatética autônoma.
 
O coração de Jesus bateu forte em Seu peito, um suor frio se manifestou, Sua pele ficou empalidecida, Suas pupilas se dilataram, Seus músculos se enrijeceram e Ele começou a tremer durante a noite. O fato de que Jesus “caiu no chão e orou…(Marcos 14.35), foi uma indicação de sua fraqueza, já que era incomum um judeu ajoelhar-se durante a oração.
 
Jesus orou repetidamente. Essa reação severa foi seguida de uma reação contrária desencadeada pelo sistema nervoso parassimpático, em resposta a aceitação de Jesus de Seu destino. As Escrituras nos dizem: “Ele se retirou, ajoelhou-se e orou: Pai se queres, afasta de mim este cálice; todavia, não se faça a minha vontade, mas a tua”.
 
Então, apareceu-Lhe um anjo vindo do céu, deu-lhe forças, e Ele, estando em agonia, orou mais intensamente (Lucas 22.41,42). A taxa cardíaca diminuiu, o corpo inteiro começou a suar, Seus músculos relaxaram, a cor retornou à Sua face. 
 
A Hematidrose
 
Seus vasos sanguíneos se dilataram, precipitando o sangue nos delicados capilares que circundam as glândulas de suor e induzindo-os a irromper nos dutos, misturando o sangue com a crescente quantidade de suor, projetada à superfície da pele exatamente como foi descrito por Lucas, o médico: “E seu suor transformou-se em gotas de sangue, que caíram ao chão” (Lucas 22.43).
 
Em síntese, a explicação mais lógica para o fenômeno da hematidrose é a seguinte: o extremo estado de ansiedade mental causado pelo pavor estimulou o centro do medo (amígdala), que mandou uma alarme geral para todos os centros do cérebro, evocando a plena reação de “lutar-ou-fugir”. 
 
Essa reação durou horas, resultando em um estado de exaustão total, que cessou abruptamente quando, depois que o anjo O reconfortou, houve uma reação contrária e Ele aceitou o Seu destino.
 
O sofrimento mental
 
Isso fez que seus vasos sanguíneos se dilatassem e irrompessem diretamente nas glândulas de suor, terminando por sair pela pele, exatamente como foi descrito por Lucas. A hematidrose é considerada um caso médico raro, mas a presença de ansiedade e profundo pavor do extremo sofrimento mental de Jesus ocasionou o fenômeno. Jesus foi foi vitima de extrema angústia mental, que drenou e debilitou Sua força física, até o ponto de exaustão. O impacto da agonia no Getsêmani ilustra a gravidade do sofrimento mental que Jesus sentiu a caminho do Calvário.
 
Ainda estava por vir sofrimentos físicos; o flagelo, a coroa de espinhos, a estrada  para o Calvário, a fixação e suspensão na Cruz e o mais terrível de todos os sofrimentos – o espiritual e moral. O Santo, o Puro, o Bendito, tomaria sobre Si a maldição de nossos pecados e de nossas enfermidades ( Isaías 53).
 
Graças a Deus pelo Seu amor inefável – “Porque Deus amou o mundo (todos os seres humanos de todas as épocas) de tal maneira que deu o seu Filho Unigênito, (Jesus morreu na cruz em nosso lugar)) para que todo àquele que nele crê (eu e você) não pereça, (no inferno) mas tenha a vida eterna (morada garantida no Céu) – (João 3.16).

Adaptado – fonte Frederick T. Zugibe
 
Pastor Antonio Romero Filho

Sobre o Autor

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: